Para receber as atualizações é muito simples! Basta colocar seu e-mail no campo abaixo!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Fuzis M1 Garand feitos pela ... IBM? Yes, That´s it!

Por Luiz Eduardo Silva Parreira

A IBM - International Business Machines - é a maior empresa de Tecnologia da Informação (TI) do mundo. Fará 101 anos em 16 de junho de 2012 e está em mais de 160 países. Durante esse tempo todo, suas invenções e valores ajudaram a moldar o mundo que conhecemos, no âmbito do conhecimento tecnológico humano. 

A maioria das pessoas lembra da IBM pelos seus produtos, como Storages, notebooks ThinkPad, etc., e poucos pelas suas "ajudas" em programas nacionais dos Estados Unidos da América. A IBM, por exemplo, foi FUNDAMENTAL para a ida do homem à Lua: o Projeto Apollo!

Original IBM uniforms at Apollo Mission Control Exhibit at KSC.
Fonte: IBM and UNIVAC in the Apollo Program, por Jeson Parlow.

Muito dessa participação pode ser lida no site da IBM, quando dos 40 anos do sucesso desse programa: "Houston, Tranquility Base here. The Eagle has landed."



Foi a IBM, por meio de seu IBM System/360 (Model 75), quem processou os dados do primeiro pouso do homem na Lua. Comandos enviados a mais de 380 mil quilômetros de distância, entre seus computadores (na Terra) a o módulo lunar (na Lua), numa época em que computação e transmissão de dados eram coisas confinadas a laboratórios, grandes universidades e gibis de ficção científica.

"IBM’s Real-Time Computer Complex at NASA, Houston - The Real-Time Computer Complex (RTCC) in Houston, Texas, was an IBM computing and data processing system at NASA’s Manned Spacecraft Center—now called the Lyndon B. Johnson Space Center—that collected, processed and sent to Mission Control information to direct every phase of an Apollo mission. The RTCC was so fast, there was virtually no time between receiving and solving a computing problem. Initially, IBM 7094-11 computers were used in the RTCC. Later, IBM System/360 Model 75J mainframes, and peripheral storage and processing equipment were used." (SIC) - 
Fonte: http://www-03.ibm.com/ibm/history/ibm100/us/en/icons/apollo/breakthroughs/

Mas a IBM também participou de outro evento de impacto mundial: a Segunda Guerra MundialNão só pelas suas máquinas de cálculo, mas fabricando fuzis! Mais precisamente o M1 Garand, na sua fábrica de Poughkeepsie, em Nova York. 

Fonte: Olive Drab - M1 Garand rifle
Ela não foi a única fora do segmento armeiro que fez isso. Por conta da economia e esforços de guerra, promovidos por Washington, diversas empresas converteram algumas de suas linhas de montagem para fabricar armamentos. A GM (General Motors, por meio de sua divisão de Inland Manufacturing), por exemplo, também montou esse fuzil de calibre .30 (ou 7,62mm).


Cano de um fuzil M1 Garand com a marca de construção pela IBM.

Dos mais de 6 milhões de M1 fabricados, a IBM é responsável por 346.500 deles (ou 5,7%). 

Um M1 Garand fabricado pela IBM
Na figura abaixo, podem ser vistos alguns dos diferentes armamentos pessoais dos EUA, na Segunda Guerra Mundial: 1. M1917 Enfield (Eddystone, February 1918, in WWII rearsenal trim), 2. M1903 Springfield (1919 RIA receiver completed by Springfield in August 1931, in WWII rearsenal trim), 3. M1 Garand, U.S. Springfield December 1942 (in CMP service grade), 4. M03-A3 Remington, June 1943, in post-WWII rearsonal trim, 5. M1 Carbine, I.B.M., March 1944 (ROK import by Blue Sky)6. M03 Colt, .32acp, 1919 (nearly perfect blue; whites out in picture).


Hoje, alguns fuzis M1 Garand, feitos pela IBM, podem ser comprados em leilões na internet, por cerca de US$2.000,00 ;-)

Mas há ainda um outro dado interessante: o Brasil participou da Segunda Guerra Mundial e alguns membros da FEB (Força Expedicionária Brasileira) também usaram fuzis M1 (não sei qual das montadores fez o M1 usado pela FEB, mas acredito que nenhum deles tenha sido feito pela IBM).

Na figura ao lado, um militar brasileiro, pertencente à Polícia do Exército (PE), carrega um M1 Garand. Mais precisamente, representa um Terceiro Sargento, da Companhia da Polícia Militar (Military Police), armado com uma Carabina M1, em  Fornovo, em Abril de 1945 (sic). Muito provavelmente esse militar era da Guarda Civil do Estado de São Paulo, que forneceu o núcleo maior desse novo segmento ao Exército Brasileiro. A PE estava sob o comando do General Euclydes Zenóbio da Costa.

Mais sobre a FEB e o Brasil na 2ª Guerra Mundial pode ser lido em alguns posts que já publicamos aqui:


Inicialmente a FEB não usou o Garand, mas o Springfield. Segundo o blog Tropas de Elite: "A FEB recebeu poucos M1 Garand, no seu lugar vieram muitos fuzis Springfield 1903 e suas derivantes. O General Mascarenhas de Moraes esperava que os três regimentos de sua divisão recebessem o Garand. No entanto, quando a primeira remessa de armamento chegou às mãos do 6º Regimento de Infantaria, os brasileiros puderam constatar que apenas 5.000 exemplares do Springfield estavam contidos entre o material recebido.

Em uma tentativa de contentar os brasileiros, 200 Garands foram cedidos à FEB para treinar a tropa em caráter limitado. Supostamente, a Peninsular Base Section não contava com quantidades do M1 suficientes para equipar os brasileiros". 

Bom, ainda sobre o Brasil, a Osprey Publishig lançou uma excelente livro - de sua renomada coleção sobre militaria - só sobre a FEB. A figura do Sargento colocada aqui é desse livro. Mais alguns detalhes sobre o que se encontra nele, pode ser visto aqui.


Finda a guerra, a IBM deixa de montar esses fuzis e volta à sua atividade fim: computação. E, anos depois, como já escrito, direciona todo esse seu potencial, sustentado por milhares de IBMers (ou IBMistas, no Brasil), para lançar o homem rumo à última fronteira ;-)

Dados dos International Business Machine Corporation na construção de fuzis.


-Main Manufacture and identification codes: "B"
-Main plant location: Poughkeepsie, NY.
-Average Cost to Government per completed rifle, $42.29
-Approximately 346,500 total Carbines were made by I.B.M. : About 5.7% of M1 Carbines made.
-M1 Carbines 346,500 (I.B.M., did not make the M2, M3, T3, or M1A1 Carbines)
-Serial number blocks assigned by the government:
-1st block, serial number: 3,651,520 - 4,009,999 | August, 1943 - May, 1944.



Mais dados aqui e aqui.

Obs.: Obrigado, Rodolfo Pierini, pela dica ;-)

Flag Counter